quinta-feira, 19 de abril de 2012

Rejuvenescer

            Especialistas concluiram que a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, é uns dez anos mais nova do que se pensava. A paisagem ao fundo do quadro teria sido baseada em desenhos feitos depois da data que era atribuída à pintura. É certo que o ano exato em que o gênio produziu sua obra mais famosa importa para a história da arte. E o que mais?
            Vivemos cercados por cabeleiras tingidas para ocultar fios brancos que teimam em denunciar idades. Como se o tempo pudesse parar. Como se a cor da tintura compensasse a natureza do branco, que combina todas as cores.
            E amiúde flagramos uma busca frenética de companhia mais jovem, não por um acidente da paixão, mas no encalço de uma paisagem que crie a ilusão de um recuo no tempo. Como se o que foi não fosse tão precioso quanto o que ainda será.
            Cabelos pintados, com frequência, ficam mais bonitos e combinam melhor com tudo o mais de alguém. Muitas vezes, novas amizades ou amores renovam a vida de outrem. Nem sempre.
            O que leva o calendário oficial a ser tão valorizado? Por que o passar dos anos é um mal implacável? Ao ler a notícia da nova datação da Gioconda concluo, por minha conta, que o importante é o fato do artista ter criado sua obra prima em idade mais avançada do que se supunha.
             Então, por mais que passe o tempo, sempre haverá mais.

Rafael Linden

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será respondido aqui mesmo neste blog.