sábado, 20 de julho de 2013

Mil e uma utilidades de um programa social


          Pois é, minha gente. Toda semana, ou quase, eu faço um esforço, ainda que prazeroso, para amenizar com literatura as agruras da vida diária de meus fiéis leitores e, se possível, alegrá-los com um ou outro rompante de humor. Mas, apesar do capricho com que escrevo este blog, sou forçado a admitir que, amiúde, basta uma simples notícia de jornal, redigida com apuradas técnicas jornalísticas, incluindo a objetividade, a precisão e a economia de texto, para demonstrar que a vida, definitivamente, é muito mais engraçada do que a arte.
          Vejam as senhoras e os senhores que estava eu, placidamente, passando os olhos na edição online d’o Globo, um importante jornal carioca, quando vi uma chamada de capa que acendeu a frase “isso dá uma crônica”. Essas palavras, aprendi em oficinas na Estação das Letras, constituem a senha para a criação de um dos textos em relação aos quais vosmecês, as mais pacientes e tolerantes criaturas do planeta, costumam poupar o autor de insultos, muito obrigado.
          Porém, ao abrir o link daquela notícia e le-la por inteiro, convenci-me de que este humilde cronista jamais conseguirá produzir um texto de tal natureza, tão reminiscente do Festival de Besteiras que Assola o País, a impagável obra de Sergio Porto, na pele de Stanislaw Ponte Preta. Por conseguinte, peço-lhes perdão por recorrer ao suor alheio, numa semana particularmente cansativa e cheia de outros deveres a cumprir, e reproduzo abaixo, ipsis litteris, o que foi publicado no jornal. Acreditem, se o cotidiano assim prosseguir, em breve a crônica bem-humorada tornar-se-á supérflua.

---------
Homem tenta pagar prostituta na Bahia com cartão do Bolsa família
Agência A Tarde
SALVADOR – A Delegacia de Polícia de Itapetinga, a 316 km da capital baiana, está investigando um caso de uso incomum do cartão do Bolsa Família. Um homem, identificado apenas pelo pré-nome de “João”, teria tentado pagar os serviços de uma prostituta e o motel em que pretendia realizar o programa sexual com o cartão do principal programa social do governo. A confusão começou quando a prostituta tentou cobrar adiantado os R$ 50 do programa. “João” percebeu que estava sem dinheiro, e perguntou se ela não aceitaria o pagamento através do cartão do Bolsa Família.
          A mulher se recusou e, devido à discussão, uma radiopatrulha da PM foi chamada ao local. Para pagar a entrada no quarto do motel, o homem teria deixado o aparelho de som do seu carro. Os policiais militares contaram que “João” se irritou com o escândalo e reclamou da situação nos seguintes termos:
          — Itapetinga tá atrasada mesmo, nem as p... aceitam cartão!.
          O delegado Roberto Júnior, titular da delegacia de Itapetinga, informou que o caso foi registrado na delegacia como um “termo circunstancial” de um cliente que não pagou o motel. Segundo ele, a utilização do cartão do Bolsa Família ainda está sendo investigado.
          — O problema é que os policiais não retiveram o cartão, pois aí eu só liberaria na presença da titular — disse.
          Pelas regras do programa, a titular do cartão é, preferencialmente, a mulher da casa. O delegado explicou que se ficar comprovado o uso indevido, o cartão pode ser cancelado.
------------------

          Melhor que isso, só mesmo o comentário enviado por um leitor: “O povo tem que comer”...


Rafael Linden


18 comentários:

  1. Rafael querido, ótima leitura para iniciar um final de semana :))))
    Realmente somos de um país onde a "criatividade" de seus habitantes é feliniana, E isso vai do comentário do autor dos fatos sobre o atraso de Itapetinga ao trocadilho enviado pelo leitor.

    Obrigada!!!!
    Beijos
    CG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida, saudades de você!
      Obrigado,
      beijo
      Rafael

      Excluir
  2. Rafael, e o "Programa Mais Médicos"? Pensei que o título da crônica se referisse a ele. Corremos o risco de que o quotidiano torne a cronica bem humorada não supérflua, mas impossível! (O que eu vi no Leblon, na madrugada desta quinta-feira...)
    Abraços,
    Celso Ramos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, essa história do Ministério da Saúde não tem graça nenhuma...
      Obrigado pela visita, abraços
      Rafael

      Excluir
  3. Hilário é pouco, Rafael. Obrigada por me fazer rir, porque o horizonte está nebuloso e nada tem muita graça. Ainda bem que tem vc para nos apontar o humor.
    Abraço,
    Isa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Isa. O humor é tanto a arma quanto o escudo mais potentes que existem. Há que cultivá-lo.
      bjs
      Rafael

      Excluir
  4. Hilário... cômico... trágico.. sei lá! Que coisa... rsrs

    ResponderExcluir
  5. Woooooow ô loko meu! é gostar muito! rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. E eu aqui achando que já tinha visto de tudo!!!! hushushsus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando menos se espera...
      Obrigado pela visita.
      R

      Excluir
  7. É muita necessidade mesmo... kkkkk

    ResponderExcluir
  8. Pagar com cartão de banco eu já vi rsrsrs mas com o bolsa família rsrsrsr, faz parte das necessidades básicas rsrsrsr
    Post divulgado no Portal Teia.
    Até mais

    ResponderExcluir
  9. O texto é cômico. O conteúdo lamentável. O uso indevido dessa forma deve ser repudiado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, há muito o que repudiar por aí. Obrigado pelo comentárii. Volte sempre.
      Rafael

      Excluir

Seu comentário será respondido aqui mesmo neste blog.