sábado, 18 de abril de 2015

Minhoca, minhoca, me dá uma beijoca...


          …e a musiquinha termina apoteoticamente com o verso “beijou do lado errado, a cabeça é do outro lado”. Pois é, caro leitor, triste é a vida das minhocas, sujeitas a cançonetas desse tipo e coisas piores, não é mesmo? Mas a criançada adora. Minha netinha, com um ano de idade, não entende a letra - acho eu -, mas a toda hora dobra o dedinho pedindo à mamãe para cantar. E acha graça, sabe-se lá do que. Pronto! Nesta histórica data, ao encontrar um pretexto para inserir a neta no blog, vosso cronista predileto finalmente atinge o nível de luminares como Veríssimo e Zuenir.
          Admita-se que, mais de uma vez, tivemos o desplante de publicar textos nos quais o assunto principal era caca. Assim sendo, por que a carinha de nojo que vejo, tão engraçadinha, a decorar o delicado rostinho de nossa gentil leitora? Podia ser muito pior. Por exemplo, a Wikipedia sugere que se “passe o dedo na sua região ventral – na sua não, caro leitor, na da minhoca - de trás para a frente, para sentir que a pele do animal é áspera, devido à presença de fileiras de microscópicas cerdas de quitina”.
          Mas, na verdade, minhoca é assunto sério. Não fosse este distintíssimo anelídeo, o que seria da vermicompostagem que, segundo manuais de instruções facilmente encontráveis no Google, consiste no “processo de transformar restos de alimentos e outros resíduos orgânicos em adubo com o auxílio de minhocas”? Ou seja, para ser ecologicamente correto, é necessário não apenas admitir, mas admirar a minhoca.
          Foi, portanto, educativo descobrir os feitos do zootecnista Afrânio Guimarães, o qual desenvolveu e patenteou uma técnica vertical de minhocultura – é isso mesmo – e, para gáudio dos aficcionados, fundou uma empresa e criou uma página na Internet chamada “Portal da minhoca”, na qual descreve e anuncia seus minhocários portáteis e outros produtos destinados, exclusivamente, à produção de minhocas para uso no manejo de terra cultivável. Coisa séria, com finalidades nobilíssimas.
          O cronista jura de pés juntos que não está de pilhéria, ao testemunhar que a consulta ao portal da minhoca lhe trouxe um grande respeito por aqueles tristes animaizinhos e declara que, daqui para a frente, cantará a infame musiquinha com mais apreço e, por que não dizer, alguma emoção. Ao mesmo tempo, teme pelos prejuízos econômico-financeiros que um inusitado acontecimento possa produzir à minhocultura industrial: a chuva de minhocas na Noruega.
          Acreditem, caros amigos e amigas. Choveu minhoca na Noruega. Dezenas de jornais no mundo inteiro publicaram a notícia, segundo a qual um biólogo norueguês foi esquiar e encontrou milhares de minhocas sobre a neve, em um local onde é praticamente impossível que as bichinhas tenham vindo da terra, de baixo para cima, dada a grande espessura da camada de neve. Considerações geológicas, geográficas e meteorológicas levaram o biólogo a concluir que a única explicação plausível para tal achado seria, de fato, uma chuva de minhocas.
          Então ficamos assim. Como se não bastassem os vikings, os fiordes, as centenas de milhares de lagos, Thor, o maior índice de desenvolvimento humano do mundo, os dias escuros de inverno e a Camilla Teksum, eis que a Noruega torna-se, agora, o país onde chove minhoca. Um mínimo de empreendedorismo nórdico poderá desequilibar a balança comercial e causar problemas adicionais à nossa combalida economia nacional, neste oscilante mercado mundial de oligoquetas.
          Isto posto, retiramo-nos para um merecido descanso dominical, não sem antes assinalar que, comparado às abominações que por aí pululam na economia, na política, na qualidade de vida e nos costumes, até que minhoca não é um tópico tão asqueroso assim.

Rafael Linden


8 comentários:

  1. Todos os animais são importantes para a natureza... nem sempre conseguimos ver sua importäncia.
    Mas continuo achando que a barata náo serve para nada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dia ainda veremos a inauguraçāo do "Portal da barata". O ímpeto inovador da humanidade é irresistível...
      :-)

      Excluir
  2. Isso me fez lembrar algo anterior que me fez crer que até barata tem personalidade.... Ha ha ha ��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cronista é simpático aos animaizinhos oprimidos...

      Excluir
  3. Chuva de minhocas?!!! Isso é real? vou pesquisar... curioso!!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja, por exemplo:
      http://www.bbc.co.uk/newsround/32371785
      Abs
      R

      Excluir

Seu comentário será respondido aqui mesmo neste blog.